quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Editais, a saga!

Trabalhar com cultura, é praticamente uma missão nesse país! Eu digo isso com toda propriedade do mundo, porque há pelo menos 4 anos, vivo participando seguidamente, de editais. E todas as vezes, se torna um martírio, não só na minha vida, mas na de todos os meus amigos que se inscrevem. E nem adianta se animar achando que se conseguir fazer um, depois ficará mais fácil, porque não fica! Um edital é completamente diferente do outro. 
Em alguns você tem que fazer 6 cópias do projeto que nesse momento já tem umas 100 folhas de tanto documento que tem que apresentar, e depois ainda envia 6 cds. Em outros você faz online e manda o material,  outros pedem pra entregar pessoalmente,e outros só pela web, e outros ainda você não consegue mandar porque na última hora, faltou aquele documento importantíssimo que você não conseguiu de jeito nenhum anexar, e em outros você acaba desistindo mesmo, de pura preguiça, até porque pelas suas contas, iria precisar de 3 encarnações para conseguir juntar toda a documentação!
Fora as madrugadas inteiras que você passa acordada com alguns de seus amigos,( porque todos trabalham de dia) mas são aqueles amigos que  sonham sair da publicidade, sabe? Então a gente se esforça mesmo, e como quase sendo uma questão de honra,  passamos a madrugada lendo e relendo mais de 20 vezes cada frase, pra não correr o risco de passar  desapercebida alguma informação fundamental, que pode desclassificar o nosso projeto ( e isso é muito comum), e descobre que quanto mais você olha para aquele edital, mais acha clausulas que não havia visto antes, e com o agravante delas gerarem dúvidas mortais em qualquer ser humano.
Em alguns momentos eu me sinto montando um quebra-cabeças de 10 mil peças com céu e mar azuis.
Algumas coisas por exemplo são assim, você está se inscrevendo como diretor estreante, mas tem que comprovar trabalhos realizados. Mas se eu sou diretor estreante, ainda não tenho nenhum, né? Eu já estou me inscrevendo justamente pra dirigir o primeiro!
Mas até isso a gente contorna, o grande problema sempre, é o orçamento, esse sim, dá pra virar várias noites pra fazer... E haja tirar daqui, botar ali, lembrar de coisa, e principalmente pensar em todos os detalhes, porque é ai que mora o grande perigo, qualquer errinho e você pode ter que pagar pra fazê-lo. E os grandes vilões são sempre os impostos! Meu Deus, em algumas vezes, eles podem chegar a 27,5%. É impressionante, se eles já estão fomentando a cultura, como é que podem descontar direto na fonte os meus 27,5% tão bonitinhos que iam fazer tanta diferença na qualidade do meu filme?
Enfim, resolvi desabafar sobre isso porque há 3 dias estou acordando, dormindo e sonhando com esse bendito edital!
E boa sorte a todos que neste momento estão passando pela mesma agonia.
Força ai galera, pelo menos a gente tá tentando fazer coisas que prestem pela cultura desse país! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário